URNAS ELETRONICAS TSE STF
URNAS ELETRONICAS TSE STF

Notícias Políticas

Atualize-se com as últimas notícias do jogo político no Brasil, Portugal e no mundo todo

Posts mais recentes

EDITORIAL

Dia 24/05/2024

Temos a nossa opinião. Você a sua. Vamos debatê-las!

O super-herói da democracia relativa voltou.

Após a manifestação de Elon Musk, proprietário da rede social “X” (antigo Twitter), comentando o fato de que o Brasil estaria sob uma “ditadura da toga”, Alexandre de Moraes, como péssimo ator, aliviou nossos olhos e ouvidos, ausentando-se do palco.

Apesar de bancarmos com nossos impostos, um Congresso com 512 deputados e 81 senadores, ineficientes e omissos em sua esmagadora maioria, restou a um grupo de deputados e poucos senadores, defender a nossa democracia no CONGRESSO AMERICANO.

Sim, é isso mesmo...

Aos Deputados norte-americanos, coube a tarefa de atuar como verdadeiros parlamentares, ou seja, discutindo sobre medidas de restrição à concessão do visto americano a Moraes e sua patota do STF, bem como, sanções ao Brasil. Contudo, nada de concreto foi feito até a presente data.

Nesse interim, muito se especulou. Uns diziam que foi uma retirada estratégica, outros que ele se escondeu com medo do alcance de Musk. Um ditado que sempre ouvi, é que “da cabeça de Juiz e da bunda de bebê, nunca se sabe o que vai sair”. São palavras sábias, que parecem ter saído da boca do próprio Confúcio.

Sendo assim, contrariando todas as expectativas, o Alexandre de Moraes “raiz”, ressurgiu em palestra realizada nesta quarta-feira (22/05/2024), defendendo o imaginário, no qual ele mesmo se insere como um herói, incumbido de defender e salvar a democracia brasileira, que - segundo ele - está em risco permanente, em virtude da ascensão dos malvadões da centro-direita e direita, que se deu nas eleições de 2018.

Bem, uma coisa é certa: suas opiniões são tão “exóticas”, quanto às suas decisões. Seu discurso foi recheado das “pérolas alexandrinas” e sem mesmo combinar com Lula e Dino, Moraes decretou: a “inexistência do comunismo”, de que a maioria das pessoas “não sabem o que é comunismo” e talvez a mais “glamurosa”, foi a afirmação com alto grau de certeza, de que “nem a China é comunista”.

Qual a moral da estória? Não tem. É imoral mesmo. Moraes e os “cumpanheros” do STF, destruíram o pouco que existia da imagem do Judiciário brasileiro no exterior. Para isso, dobraram a aposta, anulando todas as condenações e multas impostas a pessoas e empresas - todos réus confessos - no âmbito da “operação lava-jato”.

Foi Moraes e o "brioso" STF, que tiraram da jaula o Lula da Silva, tornando-o presidente da república: não satisfeitos, libertaram o ex-governador do RJ e corrupto confesso, Sérgio Cabral, condenado a mais de 400 anos de prisão e, de quebra, liberaram o José Dirceu, que foi e ainda é, o mentor intelectual da quadrilha. Pouco a pouco, o Brasil vai voltando a sua "normalidade" institucional e "democrática".

O Brasil que antes era conhecido pelo “país do futebol”, agora é o “país da corrupção”, cumprindo uma rigorosa agenda, para concretizar a “ditadura do proletariado”, impedida pelos milicos em 1964. Evidentemente, que a tal "ditadura" seria configurada pelo "jeitinho brasileiro" e não a ferro e fogo, pois esses são guardados apenas para os adversários.

De qualquer forma, temos que dar o merecido crédito ao Moraes e ao STF, já que suas pretensões de destruir o bolsonarismo, acabaram com o Brasil, que foi entregue aos ratos. Vamos cantar Cazuza: “Brasil, mostra a tua cara, quero ver quem paga, pra gente ficar assim, Brasil, qual é o teu negócio, o nome do teu sócio, confia em mim!”

Alexandre de Moraes
Alexandre de Moraes